quinta-feira, janeiro 15

A bem da minha sanidade mental

Eu acredito piamente que os bebés não são seres amorfos e idiotas. Mais, acredito mesmo que eles sabem muito mais do que nós, que vêm directamente das estrelas e que ainda não esqueceram a sua essência, os seus instintos, como nós, adultos conscientes, educados e racionais. Que querem? Podem chamar-me parva, mas a minha filhota até agora não me mostrou nada em contrário desta minha teoria, só a veio comprovar ainda mais.
Acredito também que muito colo, muito mimo, muito contacto físico, faz dos bebés seres confiantes e independentes, e por isso conto dar à minha filha todo o colo, todo o mimo e toda a mama que ela me pedir, e eu estiver disposta a dar.
Mas isso nem sempre é fácil.
A maior parte das pessoas que me rodeia acha que devemos "treinar" o bebé para fazer o que mais nos convém, fazê-lo adaptar-se aos nossos horários, mostrar-lhe desde cedo que a vida é dura e difícil e que não podem andar sempre no prazer do colo nem no mimo da mama, que têm de ser independentes o quanto antes.
Ora, a bem da minha sanidade mental, preciso de vez em quando de ânimo, de um novo fôlego, de alguém que me diga "ai tens a melhor prova que a tua filha é muito inteligente e quer contacto fisico para se sentir segura e poder descansar....".
Eu não sei se estou certa, mas não quero sofrer por antecipação. Será que isto...?Será que aquilo...? Vou viver o agora, e agora ela está feliz, sorridente, bem alimentada e linda!!! Por isso não posso andar a fazer muita asneira :)
Obrigada a toda a gente que traz força e muito, muito obrigada aos meus instintos!

6 comentários:

Etelvina disse...

Não sei como é estar do teu lado, mas pela observação apercebo-me que toda a gente tem sempre uma opinião a dar e poucas a ouvir, no que diz respeito à educação das nossas crias. A minha mae mimou-me "exageradamente" e não me parece que por isso, eu seja menos forte ou confiante (louca talx, mas acho que é de feitio). Haja amor em exagero porque à falta de amor que existe por aí, o exagero é necessário. E é tão bom mimar... a bem da sanidade mental, claro ;) bejos aos 4

Ana disse...

Gostei! É assim mesmo! Assino por baixo! "Vou viver o agora, e agora ela está feliz"... está tudo dito.
E aquela coisa de "mostrar-lhe desde cedo que a vida é dura e difícil" não é aquilo que eu escolho para a minha realidade, quanto mais para um bebé... Parece que esta história dos bebés vem mexer muito com as nossas crenças... E a Ada veio reforçar aquelas que já existiam dentro de ti. Parabéns por continuares atenta aquilo que realmente interessa no meio do cansaço e de tanta fralda por lavar...

d'l huerto disse...

hehehehehe nem a propósito, acabo de ler o teu post e ela adormeceu no meu...COLO ..... e sabem que mais ... é bom o colinho da Ada... faz bem ao coração e aquece a alma...ao colo da Ada sentimos uma fonte inesgotável de energia que nos fortalece e nos indica o caminho....beijos

mamã disse...

Concordo e comigo passou-se o mesmo. Também duvidei conseguir manter a sanidade mental... mas cá estou!
O segredo é mesmo esse: confia no teu instinto de mãe e aprende a "desligar" o ouvido quando necessário...

Bjs

papu disse...

mariana:
nao e por acaso que somos da mesma familia ;)

(tem graca que nao conheco muita gente que pense como eu, mas encontra-las e sempre compensador)

tudo o que escreveste poderia ter sido eu a escrever. Se estamos felizes e eles tambem, e isso que importa.

(e estarmos felizes nao quer dizer que nao estejamos tambem cansadas, zangadas, com vontade de chorar as vezes sem saber porque, sentindo-nos presas e sem saber bem quem somos e em quem nos tornamos. Que isto de ser mae e algo que se aprende com o tempo. )

beijos

MicasMariana disse...

Obrigada aos 5, foi bom ler-vos :)
Afinal ... o que é preciso é AMOOORRRRR :D