sábado, abril 4

Não paráste enquanto não páras!

Parar!
É preciso!
Quando não sabes para onde ir, o que fazer, como, quando e como, o melhor é parar!
Não adicionar mais variáveis e dúvidas a um caminho já de si sinuoso.
Ora eu decidi parar aí há um ano e meio. Julgava eu...
E achava muito estranho porque quanto mais parada estava, menos sabia para onde queria ir. Então depois do parto cada vez tinha as ideias mais baralhadas. E ainda por cima cheia de peso na consciência por "não fazer nada".
...
Afinal não estava "parada", nem a "fazer nada".
Mostrou-me o meu corpo, que é sábio.
Estou doente desde sábado, uma semana portanto. Já nem sei a última vez que estive tão doente e tanto tempo doente. De tal maneira que tive de vir para casa dos meus sogros, para me ajudarem a tomar conta da pipoquinha. Mas eu estava a pedi-las!!
Descobri assim, à força, que estava mesmo muito cansada, física e mentalmente. Não andava a dormir o suficiente, a descansar o que precisava, a comer tudo o que produzia em leitinho para a Ada, e afinal tenho-me enchido de trabalhar(vendo o caos que se instalou desde que fiquei doente :P)
Apesar de estar farta de me assoar, estar mouca dos dois ouvidos e estar fartinha de estar de "molho"...fez-me mesmo bem. Vamos a ver se atino com o caminho agora ;)

4 comentários:

natalie disse...

"quando não sabes o que fazer, não faças nada", é uma regra da técnica da máscara neutra que aprendi e quase sempre resulta!

as melhoras e beijocas à pipoquinha linda!

Caracoleta disse...

É assim.. quando a cabeça não decide a tempo.. o corpo decide por nós :) é uma bela dupla da natureza! hehe.. Beijos, bom descanso, boas reflexões e boa renovação!

ratchim disse...

um beijinho, meu doce, as melhoras!

Mafalda disse...

Olé! Pois...vim aqui ver se se via a pipoca a comer sopinha e deparei-me com estas novidades! Por vezes é preciso silêncio e tempo para sentir...

...tenho vagueado por Valência como se vagueasse pela minha própria vida. Trouxe o coraçao cheio e sinto-o num turbilhao... tenho a vida suspensa num dia a dia que nao é meu mas que me sabe bem... a solidao sabe-me bem.... o descanso do dia a dia sabe-me bem... por vezes é só isso que precisamos, ficarmos suspensos para podermos voltar a caminhar... Um beijo enorme. Maf